Programa ALUMNI ESTÁCIO

O Programa ALUMNI ESTÁCIO foi criado em 2013 com o objetivo da Estácio cultivar o relacionamento com seus alunos e ex-alunos, promovendo ações para manter vivo os laços de amizade com os colegas de turma, dar a oportunidade de networking, de desenvolver a carreira e oferecer oportunidades para o desenvolvimento profissional contínuo, criando o sentimento de orgulho e pertencimento à instituição que estudaram.

Saiba os Benefícios do Programa ALUMNI ESTÁCIO

Orientação Profissional

Focada na sua empregabilidade, a Estácio oferece um serviço exclusivo de Orientação de Carreira, incluindo análise e elaboração de currículo, para que você amplie suas chances profissionais.

40% de desconto na segunda Graduação

Todos os alunos formados pela Estácio tem direto a Bolsa MSV Egresso. Basta se inscrever através do Portal Estácio ou na Sala de Matrícula das unidades.

40% de desconto em cursos de Pós Graduação

O egresso deverá solicitar o desconto após matriculado através do requerimento no campus virtual.

Portal de Vagas

A Estácio possui um Portal de Vagas exclusivo e gratuito para alunos e ex-alunos, onde mais de 30 mil empresas cadastradas divulgam suas oportunidades diariamente.

Posts Recentes!

Educação Financeira

A Educação Financeira Na Educação Formal

Pode parecer estranho que falemos sobre educação financeira na educação formal, mas quando pensamos em uma educação integral, este aspecto tem mais importância do que normalmente damos.

Se pensarmos nossa sociedade e o endividamento, que muitas vezes é provocado por falta da educação financeira dos adultos podemos começar a pensar se não seria útil a implementação da educação financeira na educação formal.

Para que algo esteja realmente arraigado em nosso conhecimento normalmente necessitamos de um longo período tendo contato com o assunto e o aprofundamento vai podendo ser feito depois de termos noções básicas de cada um dos assuntos ou disciplinas que uma criança, adolescente ou mesmo adulto tenha contato.

Para podermos debater como poderia se dar a implementação da educação financeira na educação formal aqui você vai poder ler:

  • Educação não-formal e educação financeira.
  • A educação financeira: disciplina ou transdisciplinariedade;
  • A inserção da educação financeira nos distintos níveis de educação;
  • A educação financeira em outros espaços educativos;

Vamos à leitura!

A Educação Financeira: Disciplina Ou Transdisciplinariedade

Antes de debater de que forma a educação financeira poderia ser inserida na educação formal, quero explicar o é a transdisciplinariedade.

A transdisciplinariedade é o modelo de ensino em que determinada disciplina ou disciplinas se misturam de forma que conteúdos de uma determinada disciplina integre também o conteúdo de outra disciplina.

E este modelo é o que propomos para a educação financeira, os conteúdos da educação financeira podem passar por mais disciplinas do que pensamos, passando por:

  • Matemática (através de cálculos);
  • História (através dos aspectos econômicos que tivemos em diferentes períodos históricos);
  • Geografia (através do funcionamento geopolítico do Brasil e do mundo);
  • Física e Química (através da apresentação de variantes e fórmulas que possibilitam a capacidade analítica);
  • Língua Portuguesa (através da compreensão de textos que provoquem a reflexão sobre determinados eventos).

Na verdade, quando tratamos de transdisciplinariedade é possível inserir diferentes conteúdos em diferentes disciplinas. E como a educação financeira envolve tantos aspectos da vida que pensamos que ela seria mais viável tendo sua abordagem dividida nas mais diferentes disciplinas do sendo uma disciplina.

A Inserção Da Educação Financeira Nos Distintos Níveis De Educação

Apesar de parecer algo complexo a educação financeira pode ser inserida nos mais diferentes níveis de educação desde a educação infantil é possível inserir práticas que vão desenvolvendo a educação financeira, em níveis eu proporia que sejam praticadas atividades segundo o nível, separadas da seguinte forma:

  • Educação infantil:
  • Noções de cálculos de troco;
  • Noções do que é dinheiro;
  • Noções do que é economia doméstica;
  • Noções de como é trabalho e salário.
  • Educação fundamental (ciclo I)
  • Cálculos de contas de consumo;
  • Controle de seu próprio dinheiro para lanches, transporte e atividades escolares;
  • Noções básicas da economia do país.
  • Educação fundamental (ciclo II)
  • Noções de empreendedorismo;
  • Cálculos de gastos da casa;
  • Previsão de gastos.
  • Ensino médio
  • Cálculos de custo para a inserção no ensino superior;
  • Noções de economia mundial e globalização;
  • Controle de economia doméstica.

Estas atividades devem ser praticadas de forma que envolva prazer no aprendizado, aliás deveríamos pensar o prazer como componente curricular em todas as disciplinas, mas nestas práticas ela pode ser muito prazerosa porque desvela um mundo quase desconhecido e pouco falado com as crianças e adolescentes.

DICA: Faça sua graduação em Pedagogia com 50% de desconto na Estácio: https://matriculas.estacio.br.

Os educadores devem ficar atentos a não passar os limites que os pais definem para seus filhos, então as atividades que envolvem salários e economia doméstica podem ser simulações e não necessariamente a realidade que a criança vive, existem para este tipo de atividades inúmeros aplicativos que realizam este tipo de simulação.

Educação Financeira

A Educação Financeira Em Outros Espaços Educativos

A educação financeira pode também estar presente em outros espaços educativos, como centros de contra turno escolares, escolas de informática ou escolas de idiomas.

Para isto basta que nas aulas os temas que sejam abordados sejam relacionadas com a educação financeira, o modelo a ser inserido vai depender de como o educador tem a dinâmica com seus alunos, mas é possível inseri-la nos mais distintos aprendizados pois existe a possibilidade de trabalhar através de textos que tratem da temática.

Educação Não-Formal E Educação Financeira

A educação não-formal é a educação que acontece fora de qualquer espaço educativo, seja nas ruas, em casa ou em qualquer outro ambiente de relações sociais.

E nestes espaços, a família pode atuar falando sobre educação financeira, possibilitando também que a criança ou adolescente, respeitando seu nível de desenvolvimento participe do planejamento das finanças na casa.

Se você quiser ler mais sobre as diferenças entre a educação formal, informal e não-formal deixo o link de um texto que preparamos exclusivo sobre esta temática.

E como a educação financeira em nosso ponto de vista é um dos aspectos da educação integral, deixo aqui o link de um texto que preparamos sobre este e outros aspectos da educação integral.

E se quiser ler mais sobre a educação financeira na educação formal, deixo também uma matéria do portal UOL bastante interessante.